Vila Suíça de Corippo quase em extinção

O plano da Vila Suíça de Corippo para evitar a extinção

O plano da Vila Suíça de Corippo para evitar a extinção, seria transforma-la em hotel.

Localizada no cênico Vale Verzasca, concomitantemente, a Vila Suíça de Corippo está lentamente se transformando em uma cidade fantasma.

A princípio, lar de 300 pessoas durante o pico do século XIX, atualmente, a população diminuiu para 12 habitantes, com uma idade média relatada de 75 anos.

Vila Suíça de Corippo quase em extinção
O plano da Vila Suíça Corippo
Solução para a Vila

Mas uma nova solução para o declínio terminal de Corippo foi proposta, ou seja, transformar a vila em um hotel. 

A idéia não é nova, originária da Itália, onde o modelo “albergo diffuso” (hotel disperso) foi usado para reviver, por fim, aldeias doentes.

Uma organização local, a Fondazione Corippo 1975, decidiu levar a idéia ao vale Verzasca e a primeira casa de campo – a Casa Arcotti, com dois quartos – foi inaugurada, afinal, no verão.

Antes de tudo, cerca de 30 dos 70 edifícios da vila estão programados para serem convertidos em férias.

Tudo parte de um plano de regeneração que fará com que o último restaurante restante da vila seja transformado na sala de jantar e na recepção do hotel.

Fabio Giacomazzi, arquiteto e presidente da fundação, disse que o hotel daria aos turistas a chance “de passar uma estadia muito particular. Tudo isso em uma genuína vila rural que permaneceu praticamente a mesma desde 1800”.

A propriedade, acrescentou, também pode ajudar a aumentar a população da vila: “Esperamos que o hotel ofereça a oportunidade para uma família assumir a administração e se instalar em Corippo”.

Nem todo mundo está feliz. Os habitantes locais, por sua vez, de acordo com os repórteres, explicam: “Mais esforços devem ser feitos para corrigir o mau abastecimento de água e outros problemas”.

Há também preocupações de que a infra-estrutura rangente da vila, construída para cavalos e carroças, não aguente o fluxo de viajantes.

O projeto, que a Telegraph Travel entende que ainda não foi totalmente financiado, mas, ganhou o Prêmio de Inovação 2017 da Swiss Hotel Association.

Dependendo do financiamento, o trabalho deve ser concluído em 2020.

Três aldeias fantasmas italianas que se tornaram hotéis

Ficar na aldeia circular, consequentemente, é como voltar no tempo.

Os 13 edifícios medievais, que se aglomeram em torno de um pátio central, contudo, conservam montes de caráter.

Instagram: @reinaldodutraoficial

Leia Também: TODAY NEWS inovando o mercado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *