Governo fortalece ações com uso energia renováveis em SC.

O anúncio foi feito durante o Fórum Regional de Geração Distribuída com Fontes Renováveis, realizado em Florianópolis nos dias 5 e 6, com o apoio institucional do Governo do Estado. O secretário da SDS, Lucas Esmeraldino, ressaltou que o Programa SC + Energia, criado em 2015, passa a integrar as ações desta nova diretoria, o que leva fortalecimento das ações e uso de energias renováveis no Estado.

“O que demonstra a assertividade, a vontade e a seriedade que o Governo passa a tratar este segmento em Santa Catarina”, destacou. De acordo com Esmeraldino, o fortalecimento do SC+ Energia, aliado a outras ações da Secretaria, possibilitará ampliar sua rede de atendimento em todas as regiões do Estado.

Governo fortalece ações com uso energia renováveis em SC.
Anúncio foi feito durante Fórum GD, em Florianópolis – Foto: Anderson Feyh / Divulgação FRG

“Temos também nossa equipe de outorga, compromissada com a seriedade deste processo e fazendo uma força-tarefa para dar uma resposta em 30 dias. Outra questão é a proximidade da Secretaria com as vinculadas, especialmente com o IMA e as questões de licenciamentos ambientais, o que vai fomentar ainda mais o desenvolvimento econômico do Estado”, completou o adjunto Amandio da Silva Junior, que representou o secretário da pasta no Fórum.

Criado há quatro anos, o SC + Energia, que tem o objetivo de acelerar e facilitar a tramitação dos processos de obras para energias renováveis, conta atualmente com cerca de 140 projetos somando aproximadamente 3,4 GW de potência nas fontes hidráulica, eólica, solar e biomassa no Estado.

Destaque para o Complexo Eólico Calmon, no município de mesmo nome, no Meio-Oeste do Estado, com 256 MW de potência.

“Assim como o SC+Energia, que já é um programa em andamento, outras ações serão implementadas junto à diretoria com o objetivo de endereçar as demandas do setor energético do Estado. Com a Diretoria poderemos ter um planejamento energético adequado e assim se preparar de forma antecipada às necessidades de desenvolvimento do Estado”, explica o diretor, Cristiano de Alencar.

Fonte Secom-Edição Jornal oEstado