Prefeituras da Serra e Hospital Albert Einstein fortalecem Rede Cegonha

Assinaram o termo de compromisso PlanificaSUS os prefeitos e secretários municipais de saúde e a consultora do Hospital Albert Einstein, Maria Cristina Fernandes  Iran Rosa de Moraes

Rede Cegonha desenvolvido em parceria dos 18 municípios da Amures, foi escolhido pela Sociedade Brasileira Beneficente Israelita Albert Einstein para desenvolver o projeto Organização de Atenção Ambulatorial Especializada em Rede com a Atenção Primária à Saúde (PlanificaSUS). Projeto que por sua vez, é desenvolvido via Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (ProadiSUS), iniciativa e competência do Ministério da Saúde.

Uma vez integrado ao PlanificaSUS, sob a coordenação do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, o Rede Cegonha da Serra Catarinense estará potencializando o fortalecimento de atenção primária, especializada e de vigilância em saúde.

Termo de compromisso foi assinado por prefeitos e secretários municipais de saúde e a consultora do Albert Einstein, Maria Cristina Fernandes, durante a realização de workshop de abertura do projeto PlanificaSUS, na manhã de segunda-feira (15 de julho), na Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac).

O secretário estadual de Saúde, Helton de Souza Zeferino, participou da abertura do evento, compondo a mesa de trabalho, juntamente com o prefeito Antonio Ceron e o vice Juliano Polese, bem como do presidente da Amures, Vilmar José Neckel, entre outras autoridades e integrantes da equipe coordenadora do Workshop PlanificaSUS.

A secretária da Saúde do Município de Lages, Odila Waldrich, disse que o desenvolvimento do Rede Cegonha, através de parceria entre prefeituras da Serra, possibilitou a redução dos indicadores de mortalidade infantil: de 19 pontos percentuais para 12, em nível de Amures, e de 17,91 para 9,8, especificamente, no município de Lages. “Esse resultado motivou a Sociedade Israelita Albert Einstein em escolher a Serra Catarinense para o desenvolvimento do projeto PlanificaSUS, estendendo-se em período de 18 meses (de julho de 2019 a dezembro de 2020)”, destacou a secretária.

Odila relata que o Rede Cegonha, programa federal, iniciou em Lages em 2011, porém por problemas relacionados à repasse de recursos, foi efetivado somente em 2015. “Em 2017, a atual administração público-municipal deu sequência aos trabalhos, firmando parceria com os demais municípios da Amures e alcançando resultados surpreendentes e resolutivos de redução de índices de mortalidade infantil”, explicou Odila.

Já o prefeito Antonio Ceron ressaltou o excelente trabalho das equipes profissionais que atuam no Rede Cegonha, bem como o atendimento pré-natal qualificado. “Por um lado os índices apontam para menos mortalidade infantil e por outro para mais expectativa de vida para os idosos”, comemorou Ceron.

Rede Cegonha na Serra é exemplo para as demais regiões

O secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino, lançou o seguinte desafio: que a Serra Catarinense alcance o 1º lugar em desempenho e resultados positivos, com o Rede Cegonha, em nível de Brasil, assim como o Estado de Santa Catarina está preparado para alcançar a mesma meta em relação à atenção primária à saúde pública. “A atenção primária à Saúde é o novo modal de gestão, que precisa ser propositiva e resolver os problemas da população”, falou Zeferino.

“O Rede Cegonha da Serra serve de exemplo para que todas as regiões desenvolvam esta mesma concepção de trabalho, que tem mostrado resultados altamente positivos”, frisou o secretário estadual de Saúde

“O Rede Cegonha é desenvolvido com recursos próprios da municipalidade da Serra Catarinense e a partir de agora se espera que recursos federais e estaduais sejam aportados, para melhorar cada vez mais a rede de atendimento”, concluiu a secretária Odila Waldrich.

Fonte: Prefeitura de Lages Fotos Vitória Bittencourt Edição Jornal Estado Notícias SC