Raul Seixas: O Maluco Beleza nos deixou a 30 anos atrás!

Raul Seixas, Nascido em Salvador em 28 de Junho de 1945, porém ele dizia eu nasci ¨a 10 mil anos atrás¨ foi um cantor, compositor, produtor e multi-instrumentista, considerado um dos pioneiros do Rock Brasileiro. Chamado as vezes de ¨Pai do Rock¨ e de ¨Maluco beleza¨ Raul lançou 17 discos em 26 anos de sua  carreira. Seu álbum de estréia Raulzito e os Panteras foi  lançado em 1968. Mas a notoriedade junto ao público e  as criticas dos ¨entendidos¨chegou em 1973 com as músicas Mosca na Sopa, Ouro de Tolo e Metamorfose Ambulante

Em 1974  já rotulado como ¨Contestador e Místico, companhado de Paulo Coelho, Raul compôs no álbum alguns de seus grandes sucessos, como “Gita” (inspirada num livro sagrado hindu com mais de 6.000 anos, o Bhagavad Gita), “Sociedade Alternativa” (inspirada na obra de Aleister Crowley )e “Medo da Chuva”, além de canções que contam apenas com sua autoria, como “O Trem das 7” e “S.O.S.”. O que chama a atenção é que o grande sucesso GITA está colocado na sexta faixa do lado B do Long Play o que  na época eram músicas consideradas para preencher a capacidade do LP que era em torno de 12 músicas( 6 lado A e 6 lado B).

Um dos cantores de rock mais populares do Brasil, Raul Seixas teve uma trajetória de ascensão e queda que o levou à morte no dia 21 de agosto de 1989. Para lembrar as três décadas de sua ausência, o Caminhos da Reportagem faz uma homenagem ao artista neste episódio que é uma reedição do programa com duração de uma hora exibido em 2015:

Filha de Raul, Vivian Seixas, de ex-mulheres do cantor

“Raul – esse caminho que eu mesmo escolhi”.0 programa traz ainda depoimentos da filha de Raul, Vivian Seixas, de ex-mulheres do cantor, como Kika e Tânia Menna Barreto, e de amigos próximos e parceiros musicais que montam um perfil de um dos maiores cantores do rock brasileiro.

Do menino que amava Elvis Presley ao cantor que influenciou vários artistas, a reportagem mostra histórias de pessoas próximas a ele que ajudaram a contar quem era o Raul Seixas por trás dos palcos. No programa, o cantor Jerry Adriane, que faleceu há dois anos, lembrou de como Raul gostava de imitar o ídolo da juventude. “Era muito engraçado, porque quando tocava comigo, ele cantava imitando o Elvis”, diz o amigo.

Raul Seixas teve várias mulheres, muitos amigos, mas, no fim da vida, foram poucos os que não o abandonaram. Um desses amigos foi o cantor Marcelo Nova, que conta que o músico ficou anos sem se apresentar, estava sem dinheiro e sem os dentes quando os dois resolveram dar a volta por cima dessa situação e saíram em turnê. Mas a saúde de Raul já estava prejudicada. Marcelo Nova lembra da última vez que viu o amigo: “Ele me abraçou, de pijamas, no dia do meu aniversário. Me deu um abraço de presente.”

Cláudio Roberto, que compôs “Maluco Beleza” com Raul Seixas, conta como foi difícil ver a decadência do roqueiro. Quando soube da morte do amigo, sabia que havia perdido uma parte de sua própria história. “Meu amigo, o cara que tinha sido minha referência na vida durante muito tempo…”, diz, sem conseguir concluir, emocionado.

Ficha Técnica

Fonte Ebc, Pesquisa Redação Jornal o Estado Notícias SC junto a wikipedia, Reportagem: Tiago Bittencourt

Vídeo esse caminho que eu mesmo escolhi- Imagens: Rogerio Verçoza e TVE-BA-Auxiliar técnico: Alexandre Souza-Produção: Pollyane Marques, Sheiliane Silva (BA) e Luci Bruni (BA) – Apoio à produção: Tamila Lapa (DF), Linei Lopes (RJ) e Vera Barroso (RJ)- Apoio às imagens: Marcelo Padovan (RJ)- Arte: Dinho Rodrigues- Edição de texto: Anna Karina de Carvalho- Edição de imagem e finalização: Márcio Stuckert e Fábio Lima