Terapia tântrica para questões físicas, sexuais, psicológicas e autoestima

TERAPIA TÂNTRICA

Quando se fala em tantra, tem-se a ideia de uma sessão de massagem repleta de orgasmos ou de uma forma diferente e mais prazerosa de transar. Errou ! O tantra é uma terapia milenar para lidar com questões físicas, como disfunções sexuais, e psicológicas, além de trabalhar a nossa auto estima.

Terapia tântrica para questões físicas, sexuais, psicológicas e autoestima
Terapeuta Tati Alok Ida

Fiquei sabendo por uma amiga de 30 anos que procurou a terapia tântrica exatamente para isso. Sim, muito além de um prazer indescritível, ela afirmou que havia tido anorexia e bulimia na adolescência e, mesmo tendo tratado, sempre tive uma relação ruim com seu corpo. Depois da primeira sessão de terapia tântrica, isso já mudou. Hoje consegue que ver muito mais próxima da realidade.

A terapeuta tântrica Tati Alok Ida, afirma que a terapia tântrica não é indicada apenas para casos mais óbvios, como a dificuldade de ter orgasmo, mas também para trazer novo significado para a relação com o corpo, com a sexualidade, para trabalhar a autoestima e para potencializar a capacidade de ter prazer. “A maneira como você usa a energia sexual afeta todas as áreas da vida.” Segundo Tati, essa terapia usa, além da massagem tântrica, a meditação e a respiração para “redirecionar a energia sexual” da pessoa. Tati explica que, “A energia sexual é a mais poderosa que temos e a mais subestimada. Justamente porque as pessoas, em geral, ignoram o alcance que bela tem, considerando-a algo menor, que deve usado apenas para o sexo.”

crédito de imagem divulgação

Durante a terapia, ela conduz essa energia pelos chacras (os pontos de energia do organismo, segundo a filosofia iogue). Com isso, a pessoa desperta regiões do corpo “adormecidas” para nova sensações. Além do impacto físico, as terapeutas dizem que as sessões fazem com que o indivíduo entre em contato com emoções adormecidas e até traumas esquecidos.

É um processo terapêutico baseado muito mais no corpo e no toque do que na fala. Mesmo assim, as terapeutas conversam com a pessoa antes da sessão, para entender o que buscam e assim direcionar a massagem. Sem dúvidas, a terapia tântrica costuma envolver massagem nos órgãos genitais, mas, se a pessoa não estiver confortável ou não quiser, pode ser feita sem. Vale saber que o tantra explora o corpo todo, dos pés à cabeça.

Às vezes, após algumas sessões iniciais com massagem pelo corpo, a pessoa pode ficar mais confortável e estar preparada para ter as regiões íntimas tocadas. “Se tem uma pessoa que tem vergonha ou bloqueio é para ela que eu mais indico o tantra”, afirma Tati.

O que fica claro é que a massagem não é uma masturbação. Segundo a terapeuta, “fazemos movimentos contrários aos da masturbação, para trazer uma nova percepção sensorial”. Para homens, são movimentos mais leves e lentos, com direções e sentidos diferentes dos usados na masturbação. Já nas mulheres, o foco é em trazer a estrutura do clitóris para fora, “para que ela tenha uma percepção orgástica muito mais intensa”, explica a terapeuta.

O grotesco erro de quem não conhece, é acreditar que TERAPIA TÂNTRICA é um programa. Reforça-se que a terapia tântrica não é um ato sexual, apesar de trabalhar a energia sexual. Por isso, o terapeuta sempre faz as sessões vestido, enquanto a pessoa que recebe a massagem fica sem roupa. Durante a massagem tântrica é comum que as pessoas tenham orgasmos intensos e longos, mas isso não é a regra. “Tem gente que chora muito, que tem ataque de riso, gente que lembra de traumas de infância, de abusos. Cada um reage de um jeito”, comenta Tati.

crédito de imagem divulgação

Por isso, ao final da sessão, cada pessoa pode sair se sentindo de uma forma diferente. Enquanto alguns ficam relaxados, outros podem sair extremamente mexidos. Tati explica que “é algo muito íntimo, que a sociedade ensina de uma forma deturpada. Por isso varia como cada pessoa fica e também como cada um lida com o prazer intenso”, diz ela. Algumas pessoas, inclusive, podem estar tão travadas em relação à sexualidade que nem chegam a sentir prazer nas primeiras sessões, precisando de um período inicial de reconexão com o próprio corpo.

Segundo Tatiana, como a terapia tântrica trabalha as emoções e sensações por meio do corpo, ela funciona muito bem aliada à análise ou à psicoterapia. “Tem muitas psicólogas que indicam meu trabalho para suas pacientes como algo complementar à terapia convencional. Tem certas questões que só acessamos quando o racional sai de cena. Às vezes, precisamos ouvir só o corpo”, diz. Cabe comentar que como em qualquer terapia, uma única sessão pode ter um grande efeito, mas recomenda ao menos entre  três e seis sessões. A duração é entre uma hora e meia e duas horas, e os valores podem variar entre R$ 250 e R$ 500, por sessão.

Entre os benefícios desse massagem estão a Consciência corporal e aumento da sensibilidade; Melhora a autoestima; Melhora a qualidade do sono;Diminui a timidez com o corpo;Prazer para os dois; Ampliação da capacidade orgástica; Entrega; O processo de autoconhecimento ajuda a pessoa a se libertar de diversos traumas psicoemocionais. Diminui a ansiedade, o nervosismo e agitação; Melhora o relacionamento e Evolução pessoal onde o indivíduo passa a ser mais paciente, mais seguro e confiante consigo e no relacionamento com os outros.

Em outro momento vamos comentar sobre a terapia tântrica para homens após uma grande cirurgia de prostatectomia radical após câncer. Após a retirada da próstata, os homens costumam passar por período de readaptação, o que difere de homem para homem, mas tudo volta ao normal depois de determinado tempo, desde que o homem, antes e depois da cirurgia entenda que não se trata de um bicho de sete cabeças e que tudo tem solução, e principalmente desde que nós homens, não assumamos a posição de vítimas do destino e nos precavamos sempre, e, quando detectado o problema, busquemos não só na medicina tradicional, mas também nas terapias orientais as suas fantásticas soluções.

Para quem fez a cirurgia de Prostatectomia Radical, meu caso, os trabalhos desenvolvidos pelas terapias orientais, os terapeutas tântricos pesquisam o potencial do corpo em readaptar-se aos estímulos que provocam uma releitura no potencial de prazer do corpo. As pesquisas demonstraram que o corpo humano reage aos estímulos de prazer buscando recursos adaptadores, já que a principal memória relacionada ao orgasmo está ligada a um dos aspectos mais importantes do ser humano: a capacidade de reproduzir-se e eternizar-se.

Na próximo artigo eu conto mais.

Mais informações (48) 9823-8869 – https://www.instagram.com/tati.alok/

Leia ainda: Parques Nacionais encantam visitantes e protegem a biodiversidade do Brasil

Fonte: Assessoria de imprensa Terapia Tântrica